Maioria dos afetados pela doença são mulheres. Especialista explica as principais causas

Entre os diversos tipos de dor de cabeça já identificados, a enxaqueca é classificada como uma das mais incapacitantes. A doença pode causar um enorme desconforto e prejudicar, consideravelmente, a qualidade de vida de um indivíduo. Não é à toa que a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o problema no rol de doenças mais incapacitantes da atualidade.

De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, cerca de 15% da população sofre com a enxaqueca. Enquanto isso, o público feminino tem o dobro de casos registrados em comparação aos homens. A neurologista Helena Providelli, explica que uma das causas para essa diferença está relacionada aos hormônios e ansiedade mais presentes em mulheres. “A genética e, até mesmo, o estilo de vida também podem contribuir para a incidência da doença”.

Exatamente por ser uma dor extremamente incapacitante, ainda segundo o Ministério da Saúde, uma das principais queixas de trabalhadores brasileiros tem a ver com a enxaqueca. “Em muitos casos, o incômodo é tão grande que o paciente não consegue manter tarefas simples do dia-a-dia. Por esse motivo, a busca por tratamento deve ser imediata”, destacou a especialista.

Tratamentos

Helena ressalta que para identificar o problema, às vezes, nem é necessário passar por uma tomografia. Os sinais apresentados já são indícios suficientes para comprovar o transtorno. “Geralmente, os sintomas são dores que ocorrem de um lado da cabeça, intensa ou moderada, podendo durar até 72 horas. O paciente também pode sentir náuseas, alta sensibilidade a luz e barulhos, além de tontura e vômito em algumas ocasiões”.

A médica orienta que os tratamentos, geralmente, envolvem o uso de medicamentos adequados aliados a hábitos de vida saudáveis. “Alimentação adequada, controlar a ansiedade e evitar o abuso de analgésico são os principais meios para impedir o avanço da doença”, garantiu a neurologista.

Fonte: Dra. Helena Providelli, médica neurologista especialista no tratamento de dores de cabeça (@drahelenaprovidelli).


Leave a Reply

Your email address will not be published.

comentários