Comum em épocas mais frias, maioria dos afetados pela doença são crianças

Com a chegada das estações mais frias, muita gente fica feliz em poder curtir temperaturas amenas. Porém, para algumas pessoas, este pode ser o pior período do ano. É nessa época que a Dermatite Atópica mais ataca. A doença que é considerada crônica ainda não possui cura, mas com informação é possível tratar e aliviar os sintomas.

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), cerca de 25% das crianças, no Brasil, sofrem com o transtorno. Enquanto isso, 7% dos adultos desenvolvem os sintomas. A dermatologista Lívia Lavagnoli, explica que a Dermatite Atópica é uma doença hereditária e não contagiosa. “O problema é ocasionado por um desequilíbrio no sistema imunológico que causa alterações na pele e atrapalha a barreira natural de proteção do organismo”.

Sintomas

A especialista comenta que os sintomas envolvem uma coceira intensa, descamação e vermelhidão da pele. “Esses são fatores que causam muito incômodo para quem é atingido. A pele pode sofrer sérios danos e, consequentemente, infecções e outros problemas mais graves”, alertou a dermatologista.

Portanto, a melhor forma de tratamento é através do acompanhamento médico. “Infelizmente, ainda não se descobriu uma cura para a Dermatite Atópica. Mas, através do acompanhamento, o paciente consegue manter a doença sob controle. Então, no momento em que qualquer um dos sintomas ocorrerem, procure um médico imediatamente para evitar complicações”, orientou Lavagnoli.

Fonte: Lívia Lavagnoli, médica dermatologista, membra da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e especialista em tricologia médica (@dralivialavagnoli).


Leave a Reply

Your email address will not be published.

comentários